Nossa História

Um pouco de história:

Desde meus 5 anos sempre tive grande atração pelos animais, principalmente as aves. A casa de meus pais tinha um quintal enorme e eu aproveitava para mantê-lo sempre cheio, com diversas espécies de aves nativas e exáticas. Nunca vivi sem ter ao meu lado a companhia de meus amigos. Meu grande sonho sempre foi morar em fazenda ou sitio, onde pudesse criar e mantê-los soltos o mais natural possível.

Em 1973, adquiri uma área de 50.000 m² no município de Itapecerica da Serra – SP, região com clima de montanha a 1020m de altitude, semelhante ao europeu, onde iniciei a construção de uma reserva com infra-estrutura para manter um parque aviário. A vegetação é do tipo Mata Atlântica, secundária onde procurei preservar da melhor forma possível as características naturais do ambiente. Foram introduzidas espécies de vegetação tais como: Magnálias, Uva Japonesa, Aroeira Mansa etc, que pertencem a flora nativa, fornecendo alimentação (fruto e grão) natural às aves.

Foram criados micro-climas com a construção de lagos e chafarizes para evitar a destruição do ambiente pelas geadas, fenômeno quase comum em época de baixa temperatura.
A introdução de espécies da flora para a manutenção do nicho ecolágico e para a produção dos alimentos das aves, contribuiu para a atração da rica avifauna da região. Todos estes ambientes formam um cenário paisagísticos onde o visitante se encantará com a beleza da reserva.

Foram criados micro-climas com a construção de lagos e chafarizes para evitar a destruição do ambiente pelas geadas, fenômeno quase comum em época de baixa temperatura. A introdução de espécies da flora para a manutenção do nicho ecolágico e para a produção dos alimentos das aves, contribuiu para a atração da rica avifauna da região. Todos estes ambientes formam um cenário paisagístico onde o visitante se encantará com a beleza da reserva.

Foram 25 anos de muito esforço, envolvimento e aprendizagem. Quando o parque adquiriu característica suficiente para abrigar a fauna, principalmente aves, abundantes na região, chegou o momento de registrá-lo no Instituto Brasileiro do Meio ambiente – IBAMA, onde passei a ser fiel depositário das espécimes nacionais existentes. Com o parque em condições de receber visitantes para estudo de educação ambiental, tive o interesse em abri-lo ao público, onde teria noções de preservação do meio ambiente. voltando atenção em particular aos estudantes, uma vez que herdarão o mundo em um futuro bem práximo. Está em nás sairmos da teoria e partirmos para a prática, educando-os para coabitar em harmonia com o meio ambiente, fazendo-os perceber que insetos, peixes, répteis mamíferos, aves e plantas, fazem parte da teia alimentar, essencial à nossa sobrevivência.

Podemos educá-los na preservação do meio ambiente, a partir de seus próprios quintais ou num modesto canteiro de jardim. Através deste trabalho, dar-lhes noções de amor, respeito aos animais e plantas, cultivando desde tenra idade um sentimento de cumplicidade e conscientização ecolágica para a construção da cidadania. Sejam bem vindos... O nosso tema hoje é: ESTUDOS AMBIENTAIS NO PARK.

Continuando a história...

Muitas, foram as escolas que aqui vieram aprender esta convivência pacífica de respeito à natureza e aos animais; foram anos de visitas de vivências que duravam todo o dia sempre acompanhados de monitores paralelamente às escolas, nos fins de semana também alguns casais se encontraram como local e aqui vieram realizar seus casamentos em meio a toda aquela natureza romântica.

Foram criados altares e chalés de apoio para dar mais conforto aos nubentes e ampliado o salão de recepção. E como uma coisa leva à outra, foram ampliado os sanitários e a cozinha.

A idéia do casamento no campo nestas condições tão românticas indo ao encontro dos anseios e fantasias dos noivos, foi de tal forma que, quando percebemos o parque havia mudado completamente, seus jardins perderam seu ar natural, e tornaram-se mais sofisticados com estátus, bancos e fragmentos renascentes, alamedas revestidas com pedras Miracema, boulevard pelo gramado e ambientes com cadeiras e mesas de apoio, ombrelones, tudo para atender com mais conforto os convidados e quando percebemos o pavor das noivas na hipátese de chuva no dia do casamento, logo providenciamos um salão de cristal para o plano B; o que foi um alívio para elas. E assim, natural e paulatinamente o perfil do parque mudou e hoje somos Mombaça Park, casamentos no campo com estilo.